Meditação para crianças – Como ensinar os pequeninos a arte de apreciar o agora

“Viver no agora é o melhor caminho para a felicidade” – Eckhart-Tolle

Meditação para criancinhas pode parecer um conceito estranho. Elas são tão novas, despreocupadas, será que faz sentido apresentá-las a meditação tão cedo? Ou será que elas até mesmo conseguem fazer essa prática?

Primeiro vale avaliar que estamos lidando com uma geração muito diferentes de crianças. Elas estão chegando cada vez mais atentas, mais espertas, fazendo perguntas extremamente inteligentes que nos deixar por muitas vezes embasbacados.

Mas mesmo com toda essa sagacidade essas crianças ainda chegam no mundo como está, agitado, bagunçado e assim como nós adultos são bombardeadas de informações. Na era virtual tudo é muito rápido e todos os estímulos chegam ao mesmo tempo, nos exigindo cada vez mais atenção e mais energia para cumprir todas as demandas.

Sabemos exatamente por conta disso nossa presença consciente se torna cada vez mais um desafio e por mais fácil que possa parecer a vida das crianças elas também já lutam com o estresse, angustias e têm suas agendas cheias de atividades como inglês, esportes, música, dança.

Claro, tudo isso é muito interessante para o desenvolvimento delas, mas de qual forma elas estão vivenciando tudo isso? De qual forma podemos fazer com que essas atividades sejam um benefício para a formação delas e não um peso?

Existe espaço e tempo para que elas analisem e percebam seus sentimentos?

Na infância é onde começamos a entender as interações do mundo e a forma como aprendemos a nos relacionar conosco e com os outros nessa época é determinante para definir a forma como nos tratamos e lidamos com os outros nos anos seguintes. Ou seja, dar a atenção e os cuidados corretos nessa fase é de grande importância para pavimentar um caminho de mais leveza e felicidade.

E é aí que entra um grande aliado, a meditação para crianças.

Os benefícios da meditação

São diversos os benefícios que a meditação pode trazer, mas um dos grandes que podemos citar é exatamente incentivar a presença da consciência no momento vivido. Dessa forma a criança entra em contato com ela mesma, desenvolve autoconfiança, entende melhor seus pensamentos o que permite tomar decisões mais claras e saudáveis e alcança a sensação de bem estar mais constante.

Ela cria espaço para lidar com esses tantos estímulos a que os pequenos são apresentados e dessa forma eles conseguem lidar com isso com mais calma e menos ansiedade. Mesmo quando se deparam com problemas como bullying, estresse ou dificuldades familiares a meditação desenvolve a habilidade de superar tudo isso com mais saúde.

Basicamente viver no presente permite que os pequenos estejam vivenciando por inteiro as experiencias, tirando o máximo de cada momento. E esss servirão de base para a formação emocional e mental deles, os tornando adultos muito mais felizes e conectados.

Mas essa atenção e todos os benefícios que ela traz raramente vem de forma automática. É um comportamento que precisamos praticar e desenvolver.

Como introduzir a meditação na vida do seu pequeno

Apresentar a criança ao mundo da meditação pode ser mais fácil do que você pensa. Claro que não é possível fazer uma prática longa de vários minutos no começo. Uma criança pequena raramente passa 10 minutos completamente parada e concentrada na primeira vez, isso é normal! Esses são objetivos que vão sendo alcançados aos poucos conforme o treinamento e o desenvolvimento dessas habilidades.

Aqui é importante atentar para duas coisas, a prática periódica que permite esse progresso gradativamente e o respeito à maturidade emocional de cada criança. A atividade não é para ser algo forçado, mas sim algo divertido e associado com bons momentos.

Existem diversas formas de mostrar às crianças os princípios da meditação incentivando a presença no momento. Uma ideia muito interessante é trazer de forma lúdica a atenção ao corpo e ao presente por exemplo colocando um urso no peito da criança deitada para que ela possa ver ele subindo e descendo com a respiração.

A respiração é uma ótima maneira de prender a atenção e ancorar a mente no momento presente, dentro disso podemos fazer algumas outras referências de fácil compreensão, como pedir para o pequeno imaginar o corpo como um enorme balão que enche e esvazia. Ou mostrar a respiração mais profunda como o ato de cheirar uma flor e soprar uma vela.

É importante o uso de elementos que já fazem parte da vida da criança, dessa forma existe uma rápida conexão mental que permite que a criança lembre mais rapidamente como aplicar as técnicas.

Tipos de meditação: Como escolher a melhor opção?

Existem alguns tipos de meditação tradicionais que costumam ser mais presentes hoje em dia. Duas muito conhecidas são as técnicas mindfulness e a meditação guiada.

Com mindfulness costuma existir mais silêncio, é uma prática que ajuda a lidar com o excesso de pensamentos sem se apegar a eles, trazendo a atenção plena ao momento. Imagine como se os pensamentos fossem carros em uma estrada e ao invés de estar na pista correndo atrás deles o tempo todo o praticante fica ao lado da estrada, apenas olhando o tráfego. Então os pensamentos ainda estão lá, como os carros da estrada, mas não perseguimos mais eles, apenas olhamos eles indo e vindo, com mais calma e clareza.

Já na meditação guiada existe um roteiro onde o praticante presta atenção aos elementos que vão surgindo e que ancoram a atenção ao momento presente. Dessa forma é possível usar a criatividade, criando um ambiente mental interessante, mágico e com elementos lúdicos que seja encantador para o pequeno ouvinte.

Para escolher a melhor técnica é preciso prestar atenção ao momento da criança. Uma avaliação da compreensão dela aos assuntos abordados, da maturidade, da idade. A princípio pode ser mais fácil trazer uma opção guiada, que traz os elementos cativantes da criação e pode ser feita pelos pais sem dificuldades. Alguns roteiros para isso podem ser achados facilmente na internet.

Aplicação no dia-a-dia: uma forma fácil de entender a presença

Agora, outra forma de introduzir a prática é colocá-la aos poucos no dia-a-dia. Meditação não significa necessariamente que a criança vai se sentar no chão com pernas de índio e ficar parada até acabar. É possível e extremamente interessante trazer essa noção para o cotidiano. Dessa forma a criança faz dessa presença um hábito constante na vida dela. 

Uma forma fácil de conseguir isso é, por exemplo, levá-la para dar uma volta fora de casa, num parque talvez. Faça o exercício de observar as flores, as folhas, a cor delas, a textura, os cheiros. Ou uma opção um pouco mais caseira, pegue uma ampulheta e a convide para observar a areia caindo, pinte mandalas, faça dobraduras. Tudo isso pode ser meditativo, guiando a atenção para o presente e trazendo todos os benefícios dessa presença.

A grande dica final de aplicação no dia-a-dia é o exemplo. As crianças têm o hábito de copiar os comportamentos que estão mais presentes na vida dela, em especial o dos pais. Desenvolver a noção do agora diariamente pode ser um desafio vivido em família e acredite, os benefícios com certeza serão colhidos por todos, melhorando a energia da relação familiar e trazendo leveza e felicidade como sentimentos ativos e presentes.

beneficios-da-meditacao-diaria

9 benefícios da prática da meditação diária

 A vida anda corrida? Muitas responsabilidades? Você constantemente se encontra pensando: “Não tenho tempo para nada, estou para enlouquecer”, CALMA, quem sabe a solução para isso seja começar a pratica da Meditação?

O cotidiano, muitas vezes trazem imprevistos e uma gama complexa de responsabilidades que acabam tornando o cenário estressante, por isso se faz tão necessário hoje a busca do equilíbrio.

A falta de equilíbrio reflete direta e indiretamente no corpo, na mente e na alma da pessoa, atraindo doenças, crises, falta de compreensão clara.

O equilíbrio somente pode ser alcançado por você mesmo, não pense que pode entregar essa tarefa para outra pessoa, porque não pode, rsrs, imagina só? Seria muito fácil! Porém, existe uma saída ainda mais fácil e melhor, a PAZ INTERIOR.

E não se engane pensando que meditar é só para monges e pessoas religiosas, rsrs, a meditação é uma prática fantástica universal, ela é para todos! Principalmente para os que acham que não conseguem.

Quem pratica regularmente, conhece muito bem os benefícios que essa maravilhosa prática manifesta, no entanto, muitos ainda não conhecem, e se você é uma dessas pessoas que ainda não pratica pode estar desperdiçando o seu tempo e o seu potencial.

Para desenvolver leveza e saúde no seu dia-a-dia, confira abaixo como esse universo da meditação pode transformar a sua rotina. 

PARA COMEÇAR – O QUE É MEDITAÇÃO?

Meditar é praticar técnicas específicas que nos ajudam a focar nossa atenção em um único ponto, com o objetivo de alcançar clareza mental, emocional e desenvolver o autoconhecimento.

A prática da meditação nos conduz a percebermos a nossa luz interior e trazer essa luz para o exterior, assim refletindo em uma vida mais feliz e serena. A paz é o nosso estado natural.

Quando meditamos nos equilibramos nos aspectos físico, mental e espiritual, trazemos a paz que reside em nosso interior para a nossa realidade externa e tudo acaba por se estabilizar.

“Tudo o que você faça, deve ser feito em paz. Eis o melhor remédio para o seu corpo, sua mente e sua alma. Eis a maneira mais sublime de viver. Devemos modelar nossa vida segundo uma estrutura triangular: tranquilidade e doçura são os dois lados, a base é a felicidade. Todos os dias, lembre-se: “Sou um príncipe da paz, sentado no trono do equilíbrio, dirigindo meu reino de atividades”. Atue uma pessoa rápida ou vagarosamente, na solidão ou nas agitadas aglomerações humanas, ela deve centrar-se na paz e no equilíbrio.” – Paramahansa Yogananda.

meditacao-diaria

BENEFÍCIOS DA MEDITAÇÃO NO DIA-A-DIA

  1. Acalma e Tranquiliza

A meditação direciona a energia para seu interior, produzindo estabilidade corporal e mental, levando-a à calma. Essa técnica produz sensação de relaxamento e tranquilidade.

  1. Ajuda a desenvolver amor ao próximo

A meditação nos ajuda a acionar as qualidades de paz e do amor, e com isso percebemos que estamos todos interligados nessa grande teia de luz fiada pela sabedoria da Inteligência Superior.

  1. Aumenta a concentração

A meditação contribui para o funcionamento da atenção, o que, por consequência, faz com que o praticante se torne mais consciente e perceba o que acontece em seu mundo interno e externo. A expansão do foco aumenta o potencial de concentração durante a prática da meditação. Portanto, o praticante leva essa habilidade para a realização de suas atividades.

  1. Instaura o autocontrole e incentiva o autoconhecimento

Com a aquisição da calma, concentração e tranquilidade, começa a florescer o autocontrole, que se inicia com a observação da própria respiração e do foco da atenção durante a prática meditativa. A pessoa passa a ter mais controle de suas ações, dos atos impulsivos, de suas emoções, passando a lidar melhor com a ansiedade, raiva, tristeza ou nervosismo. Aumentando o autocontrole, a pessoa vai, aos poucos, desenvolvendo o autoconhecimento que é fundamental para a expansão da consciência.

  1. Desperta a intuição e a sabedoria

As pessoas fazem escolhas e tomam decisões, para desenvolver o discernimento, ou seja, para aprender a escolher o que é melhor é preciso ouvir a intuição. Somente através da paz interior, com o relaxamento da mente e do corpo é que podemos sentir e ouvir a voz de nosso coração. Com a prática da meditação despertamos a intuição naturalmente, como o desabrochar de uma flor.

  1. Nos desperta a cultivar bons pensamentos

Buda já dizia: “Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.”

A meditação pode mostrar a você como tornar sua vida mais alegre, com o cultivo dos pensamentos positivos. Existem técnicas de meditação que atuam diretamente nesse tópico e podem influenciar, desde já, a cultivar seus pensamentos para que sua vida seja um reflexo do amor, benevolência, caridade, saúde, paz, prosperidade.

  1. Ajuda a acessar as qualidades da alma

Em nosso corpo físico reside a nossa alma – plena de abundância, as mais belas qualidades. O esforço da meditação diária nos auxilia a nos reconectarmos com essas qualidades de nossa alma. Somos seres de Luz e Amor.

  1. Incentiva o cultivo dos bons hábitos

A meditação, com fundamento no conhecimento da Yoga, tem por objetivo ajudar você a compreender como pode analisar seus hábitos e transmutá-los quando preciso, cultivando assim, os bons hábitos.

  1. Conduz o praticante a um estado de felicidade permanente

Na obra “Onde Existe Luz”, Paramahansa Yogananda diz: “A natureza da alma é bem-aventurança: um estado interior de sempre nova alegria…”

O praticante de meditação, a cada dia, vai desenvolvendo e cultivando mais e mais, essa sempre nova felicidade, um estado de alegria duradoura, que está em seu interior independente do que aconteça à sua volta.

É claro que é necessário empenho, foco e prática para que possa ir gradativamente alcançando esse estado de bem-aventurança.

OS BENEFÍCIOS DA MEDITAÇÃO SÃO COMPROVADOS CIENTIFICAMENTE

Em pesquisa realizada pela revista PUC de São Paulo, Denise de Assis nos dá uma noção pormenorizada de como os estudos começaram no ocidente:

 O estudo científico da meditação, no ocidente, teve início com as pesquisas do Dr. Herbert Benson, cardiologista e professor da Faculdade de Medicina da universidade de Harvard (EUA), no início dos anos 70.

Em 1975, o Dr. Benson lançou a primeira edição de seu livro que se tornou um Best-Seller: The Relaxation Response. Neste trabalho, Benson abordou os benefícios da meditação no tratamento e na recuperação de seus pacientes. No ano 2000, fazendo um retrospecto a respeito do contexto envolvendo o meio acadêmico no período em que o livro foi lançado, Benson relembrou que era visto como heresia o fato de um médico considerar a hipótese de que o stress e outras reações emocionais contribuíam significativamente para o surgimento e agravamento de DOENÇAS.

Tudo começou, quando Benson, ainda no início de sua carreira, percebeu que seus pacientes hipertensos, após serem medicados, queixavam-se de fraqueza e apresentavam sintomas relacionados à vertigem. Ao sentir-se incomodado com tal fato, Benson percebeu que isto não acontecia apenas com seus pacientes

Aliado a isto, outro acontecimento que chamou sua atenção foi a constatação de que os pacientes apresentavam a pressão sanguínea com valores mais altos quando aferida no consultório. Benson percebeu que esta alteração acontecia devido à ansiedade que os pacientes apresentavam diante do médico. Assim, Benson concluiu que havia uma relação entre stress, ansiedade e alterações fisiológicas.

Em sua busca por uma explicação, Benson encontrou-se com o Dr. Robert Keith Wallace, da universidade da Califórnia, que estava desenvolvendo uma pesquisa com praticantes de meditação transcendental (MT), que é a técnica de meditação mais conhecida no ocidente.

Em uma breve explicação, esta técnica consiste basicamente, em manter-se sentado confortavelmente, de olhos fechados, por um período de 15 a 20 minutos, duas vezes ao dia, buscando repetir (pode ser mentalmente), uma palavra ou um som que possua algum significado pessoal. Ou seja, diferentes temas para meditação são dados a pessoas diferentes.

Assim, a partir de sua pesquisa a respeito da MT, Benson e Wallace perceberam que os meditadores conseguiam manter estáveis o batimento cardíaco, o metabolismo corporal e a respiração. Benson denominou Relaxation Response (Resposta ao Relaxamento) ao conjunto resultante destas respostas fisiológicas em decorrência da prática e foi o nome que deu origem ao livro lançado em 1975.

No comentário introdutório do trabalho publicado por Benson, o cardiologista Sidney Alexander, pontuou que a meditação pode ser utilizada para os mais variados objetivos: no controle da ansiedade, como coadjuvante no tratamento da depressão, no controle de reações emocionais intensas, como auxiliar no tratamento da hipertensão, no equilíbrio dos batimentos cardíacos, no alívio da dor, no período de tensão pré-menstrual, menopausa, em quadros de insônia, nas alterações de humor e em doenças que possam surgir em decorrência do stress e da ansiedade.

Continuando suas pesquisas, Benson descobriu que a resposta ao relaxamento podia ser obtida com várias outras técnicas, incluindo a yoga ou práticas simples de respiração ritmada, sendo necessário apenas que cada praticante mantivesse uma disposição mental e uma atitude passiva, de quietude.

Outro pesquisador, Jon Kabat-Zinn, professor de medicina da Universidade de Massachussetts também descobriu que a prática da meditação, combinada com yoga, diminuía a dependência de analgésicos e reduzia os sintomas em pacientes de dor crônica. Dentre os vários casos estudados por Kabat-Zinn, as queixas dos pacientes variavam entre dores nas costas e dores de cabeça (como enxaqueca e tensão), entre outros casos relacionados à dor crônica.

Retornando ao trabalho de Benson, introdutor das pesquisas médicas a respeito da meditação no ocidente, dez anos depois do lançamento da 1ª Edição da obra The Relaxation Response (1975), lançou outro trabalho que também se tornou um Best Seller: Beyond The Relaxation Response (1985). Desta vez, Benson percebeu que a prática da meditação, combinada com crenças pessoais, potencializava os benefícios já comprovados por esta prática. Benson chamou esta combinação de Faith Factor (fator fé).

O objetivo de Benson foi unir dois mecanismos extremamente poderosos (1) a meditação e (2) crenças filosóficas ou religiosas. Neste trabalho, o cardiologista procurou estabelecer uma ponte entre a fé tradicional, a prática da meditação e a observação científica. É importante considerar que Benson fez questão de esclarecer que seu objetivo não era discutir ou defender dogmas ou posturas religiosas, pois os benefícios da meditação são alcançados também por aqueles que não possuem qualquer tipo de crença ou fé, seja esta filosófica ou religiosa.

No entanto, Benson percebeu, não apenas em suas pesquisas, mas também em outras de cunho similar que a influência do fator fé (Faith Factor) podia efetivamente: reduzir as dores causadas por angina e até mesmo eliminar a 75 necessidade de intervenção cirúrgica (80% dos casos), reduzir a pressão arterial e controlar os problemas causados por hipertensão, aumentar a criatividade, principalmente nos casos de “bloqueio mental”, eliminar quadros de insônia e prevenir ataques de hiperventilação.

Além da pesquisa da Puc-SP, existem diversos outros, um estudo feito pela Unifesp, em parceria com o Hospital São Matheus, contou com um grupo de 140 idosos praticando meditação por 2 meses, 2 vezes por semana. Metade dos participantes que seguiu à risca a prática da meditação duas vezes por semana e relataram resultados bastante significativos:

  • 71,19%relataram melhorias na postura;
  • 64,41%afirmaram estar respirando melhor;
  • 62,71%conseguiram aumentar a disposição;
  • 57,63%experimentaram redução de dores físicas
  • 45,76%tiveram melhorias em doenças crônicas (junto com o tratamento convencional);
  • 37,29%relataram mudanças no hábito intestinal.

 

REFLEXÕES SOBRE MEDITAÇÃO

“A paz vem de dentro de você mesmo. Não a procure à sua volta.” – Buda

“Os grandes mestres nos ensinam a fechar os olhos e a lembrar, pela meditação no eu invisível, que não estamos restritos ao que nossos corpos físicos podem fazer.” – Paramahansa Yogananda

“Não se satisfaça com um pouco de paz nascida de sua meditação, mas anseie continuamente pela bem-aventurança divina.” – Paramahansa Yogananda.

7-chackras

Os 7 Chakras – O Manual Prático e Completo Para Iniciantes

 

O universo inteiro é feito de energia e seu corpo não é exceção. Os 7 chakras desempenham um papel importante no equilíbrio e na saúde de nossos corpos.

Muito antes da tecnologia e da ciência modernas, as culturas antigas sabiam que todos os seres vivos carregavam uma força vital com eles. Eles chamaram os centros de energia que se moviam dentro de nós os 7 chakras.

Então, quais são os 7 chakras?

Chakra é uma antiga palavra sânscrita que significa literalmente roda .

Isso ocorre porque a força da vida, ou prana , que se move dentro de você está girando e girando. Essa energia giratória possui 7 centros em seu corpo, começando na base da coluna e movendo-se até o topo da cabeça.

Em uma pessoa saudável e equilibrada, os 7 chakras fornecem o equilíbrio certo de energia para todas as partes do seu corpo, mente e espírito.

Mas, se um de seus chakras girar muito rapidamente, for bloqueado ou se mover lentamente, sua saúde sofrerá .

Ao aprender sobre os 7 chakras, você pode se sintonizar com os ciclos naturais de energia do seu corpo.

Você pode usar essas informações para conectar desequilíbrios físicos, emocionais e espirituais com os chakras que os capacitam. E com essas descobertas, você pode começar a equilibrar seus chakras e viver uma vida saudável e harmoniosa.

Os 7 chakras para iniciantes


Antes de mergulhar nos 7 chakras , vamos dedicar um momento para sintonizar o corpo e sentir os chakras em ação.

Para iniciantes, esses exercícios de chakra podem parecer estranhos. Mas basta seguir o fluxo e logo você será um profissional de chakras.

Você pode sentir os centros de energia do prana muito levemente, muito intensamente, ou de modo algum.

Lembre-se de que, aconteça o que acontecer, tudo bem.

Meditação introdutória dos chakras

  1. Primeiro, comece certificando-se de que você está em um espaço silencioso. Sente-se em silêncio por um momento e respire fundo algumas vezes. Deixe a tensão e o estresse deslizarem por um momento. Basta estar no momento, com seu corpo.
  2. Agora, traga sua atenção para a base da coluna , do cóccix e imagine uma luz vermelha brilhante e giratória. Sinta-o pulsando e girando com a respiração.  Sente-se com isso por um momento. 
  3. Em seguida, mova sua atenção pela coluna para a área alguns centímetros abaixo do umbigo . Sinta o calor de uma luz giratória laranja brilhante. Mais uma vez, observe como ele se move com a respiração.
  4. Agora, direcione sua atenção para alguns centímetros acima do umbigo. Você provavelmente está familiarizado com essa área porque, quando sente fortes emoções como amor ou medo, provavelmente sente aqui. Observe como você pode sentir a intensa luz amarela girando naquele local.
  5. Traga sua atenção ainda mais para o centro do seu peito, onde está o seu coração. Esta área aproveita uma luz verde brilhante. Quando você é tocado ou movido, você pode instintivamente colocar a mão sobre este local. Conecte-se com essa área agora.
  6. Então, traga sua atenção para a garganta, o mergulho entre as clavículas. Imagine uma luz azul brilhante girando nessa área. Você pode sentir vontade de engolir ou limpar a garganta.
  7. Em seguida, mova sua atenção para o espaço entre as sobrancelhas e o terceiro olho . Esta área possui uma luz índigo profunda. Imagine-o girando e se tornando mais brilhante.
  8. Por fim, mude sua atenção para o topo de sua cabeça. Imagine uma luz violeta vibrante e giratória que brilha diretamente da parte superior do seu corpo. Essa luz conecta você ao universo. Sinta a paz que vem com a observação dessa luz.

Os 7 Chakras: Significado e Símbolos


Agora que você foi apresentado a seus chakras, vamos falar sobre o papel que cada um desempenha em sua vida.

Discutiremos a localização e o objetivo de cada chakra, e também falaremos sobre os sintomas que você pode sentir quando estão equilibrados ou desequilibrados. Obviamente, cada discussão terminará com  como curar e capacitar cada chakra.

O que significam os 7 chakras?

  1. O Chakra Raiz
  2. O Chakra Sacral
  3. O Chakra do Plexo Solar
  4. O Chakra do Coração
  5. O Chakra da Garganta
  6. O Chakra do Terceiro Olho
  7. O Chakra da Coroa

Que religião são os 7 chakras?

Alguns acreditam que os chakras são símbolos religiosos. Mas a verdade é que eles não pertencem a nenhuma religião em particular.

Dito isto, os chakras são apresentados no hinduísmo e no budismo tântrico .

O 1º chakra – Chakra Raiz – Muladhara

O nome oficial deste chakra, Muladhara, vem das palavras Mula, que significa raiz e Dhara, que significa apoio .

Portanto, o papel deste chakra é conectar toda a sua energia com a Terra, que é chamada de aterramento.

Quando você pensa em seu  Chakra Raiz , pense em sua sobrevivência diária aqui na Terra. O papel deste centro de energia é fornecer tudo o que você precisa para sobreviver. Para nós, na era moderna, isso normalmente se traduz em segurança financeira e emocional.

Cor vermelha

Localização: Este chakra está localizado na base da coluna, perto do cóccix . Ele sobe um pouco abaixo do umbigo.

 

Como é  equilibrado : Quando o seu 1º chakra estiver equilibrado, você sentirá uma sensação de realização e paz ao pensar em coisas como dinheiro, segurança e abrigo.

Você se sentirá conectado à sua experiência humana. Quando esse chakra está  hiperativo : nosso chakra da raiz é muito usado, portanto, ter um chakra da raiz hiperativo é muito comum.

Quando seu 1º chakra está hiperativo

Um chakra da raiz hiperativo causará ansiedade e nervosismo. Por quê? Bem, isso acontece porque o medo é baseado na necessidade de sobreviver. Esse é o papel do medo – nos manter vivos.

Portanto, um chakra raiz hiperativo gritará mensagens de sobrevivência, mesmo quando não houver ameaça real . Fisicamente, você pode ter problemas digestivos, problemas na região lombar, dor no quadril e cistos ovarianos em mulheres ou problemas de próstata em homens.

Como equilibrar seu 1º chakra

Em termos práticos, é importante cuidar primeiro das suas necessidades de sobrevivência. E esse chakra lhe dá energia para fazer isso, então utilize essa energia da melhor maneira possível.

Acalme esse chakra, concentrando-se na sua conexão com o espírito. Dedique tempo todos os dias para nutrir sua alma orando, meditando ou se conectando aos guias espirituais.

O voluntariado e os atos de bondade e compaixão podem guiar a energia hiperativa do chakra da raiz para outros centros de energia do corpo.

Quando o primeiro chakra é inativo

Se suas necessidades de sobrevivência geralmente foram atendidas, esse chakra pode não ter sido muito ativo ao longo de sua vida.

Se for esse o caso, você pode experimentar devaneios freqüentes, problemas para se concentrar ou simplesmente se sentir como se estivesse com a “cabeça nas nuvens”. As pessoas podem dizer que você parece “empolgado” ou “espaçoso”.

Estes podem não parecer grandes problemas, mas ser equilibrado e conectado é importante.

Energize seu 1º chakra

Se você se desconectar da existência material, seu primeiro chakra pode precisar ser acelerado.

Você pode fazer isso reconectando-se à terra estando fora da natureza . Jardinar, nadar ou até brincar nas folhas pode energizar seu chakra da raiz.

O segundo chakra – Chakra Sacral – Svadhishana

O segundo chakra é o  chakra sacral ou svadhishana, que se traduz no “lugar do eu”.

Este chakra tem tudo a ver com sua identidade como humano e o que você faz com ele. Dos 7 chakras, esse chakra é responsável por trazer energia criativa para ajudar a enriquecer sua vida.

Seu chakra sacral é o lar da energia criativa da força vital que ajuda você a aproveitar sua vida aqui na Terra.

É a energia que o motiva a desfrutar dos frutos do seu trabalho, incluindo a realização de atividades prazerosas como sexo e intimidade.

Cor : Laranja

Localização: O chakra sacral está localizado logo abaixo do umbigo e se estende até o centro.

Como é  equilibrado  : Quando seu segundo chakra está equilibrado, você aprecia as coisas agradáveis ​​que a vida tem a oferecer, sem exagerar.

Sexo, boa comida e atividades criativas serão inspiradoras e divertidas, e você terá uma sensação de bem-estar e abundância com elas.

Quando este chakra está hiperativo

O  chakra sacral  é freqüentemente hiperativo quando enfrentamos coisas como vício e gula. O prazer é uma coisa boa, e você nunca deve se sentir culpado por apreciar as coisas boas que a vida tem a oferecer.

No entanto, se você estiver gostando de coisas que não são nutritivas para sua alma ou saudáveis ​​para você, então seu chakra sacral provavelmente estará desequilibrado.

Os sintomas incluem dependência, obesidade, desequilíbrios hormonais e inquietação.

Como equilibrar seu segundo chakra

Para equilibrar o seu segundo chakra, é útil afastar a energia do prazer e entrar no seu coração.

Você pode fazer isso fazendo uma pergunta simples antes de cada ação que você executar.

Pergunte a si mesmo: “ O que estou prestes a fazer é bom para mim? É saudável e nutritivo? Quais são os benefícios da ação que estou prestes a tomar? 

Dedicar um tempo para avaliar se suas ações são saudáveis ​​é uma ótima maneira de extrair energia deste chakra.

Quando este chakra está inativo

Se você passou muito tempo concentrando-se em coisas muito práticas, sem aproveitar os frutos do seu trabalho, seu chakra sacral pode ficar subativo. Os sintomas incluem depressão, impotência, diminuição do desejo sexual e falta de paixão e criatividade.

Como energizar seu segundo chakra

Energizar seu segundo chakra é divertido. Em termos simples – aproveite a vida! Crie uma obra de arte. Coma um lanche saudável e agradável. Faça amor com seu parceiro.

Reserve um tempo para si mesmo e desfrute dos presentes incríveis que a Terra tem para lhe oferecer.

O terceiro chakra – Plexo Solar – Manipura

O  terceiro chakra é o plexo solar ou Manipura, que se traduz em “jóia lustrosa”. Esse chakra é onde nascem sua autoconfiança, identidade e poder pessoal.

Você já esteve em uma situação que sabia que não era adequada para você? Onde você sentiu essas pistas em seu corpo?

A maioria das pessoas diz que sente esse tipo de sinal em seu “intestino”.

Na realidade, esta é a sede do seu poder pessoal, do seu plexo solar, e você pode sentir fisicamente essa confiança e sabedoria em sua localização.

Cor amarela

Localização: O plexo solar começa no centro do umbigo e se estende até o esterno ou onde seus dois conjuntos de costelas se conectam no centro do peito.

Como é  equilibrado : Quando o seu terceiro chakra estiver equilibrado, você sentirá um senso de sabedoria, determinação e poder pessoal.

Muitos chamam esse chakra de chakra do guerreiro, pois o sentimento que você obtém dele é comparável a um guerreiro sábio que entra em batalha.

Ele tem confiança para vencer e sabedoria para conhecer a verdade pessoal pela qual está lutando.

Quando este chakra está hiperativo

O chakra do plexo solar se torna hiperativo quando o poder que temos sobre nossas próprias vidas se estende às vidas de outros. Quando esse chakra está muito energizado, você pode sentir-se rápido em se enfurecer, na necessidade de controlar e microgerenciar, na ganância e na falta de compaixão ou empatia.

Você pode sofrer de problemas digestivos ou até desequilíbrios nos órgãos internos, como apêndice, pâncreas, fígado e rins.

Como equilibrar seu terceiro chakra

Para equilibrar o seu terceiro chakra, pratique a abertura do seu coração com  amor e compaixão . Medite em enviar amor e bondade do seu coração para todos os que estão ao seu redor. Volte a focar o poder que você tem e veja a si mesmo como um farol de amor.

Quando este chakra está inativo

Quando nosso poder pessoal é tirado de nós por outra pessoa ou por circunstâncias atenuantes, podemos ficar com falta de energia em nosso terceiro chakra.

Se isso acontecer, você pode se sentir indeciso, inseguro, tímido e carente.

Como energizar seu terceiro chakra

Para energizar seu plexo solar, pense nas coisas em que você sabe que é bom. Afinal, todo mundo tem talentos e habilidades.

Faça uma lista sua. Sinta como a confiança nesses talentos faz seu estômago formigar e vibrar. Capacite esse sentimento criando suas próprias afirmações pessoais.

chackra-anahata

O quarto chakra – Coração – Anahata

O quarto chakra é o chakra do  Coração ou Anahata , que se traduz em “ileso”. Esse chakra é onde seu amor, compaixão e bondade são fortalecidos.

Não é difícil entender esse chakra.

Todos nós associamos nossos corações ao amor, e é exatamente disso que trata o quarto chakra. E isso inclui amor pelos outros e amor por si mesmo, razão pela qual esse chakra também está associado à saúde e à cura .

Cor verde

Localização: O centro do chakra do coração está localizado logo acima do seu coração e irradia para o esterno e até a garganta. É o meio dos 7 chakras e está conectando os chakras superiores (o céu) com os chakras inferiores (o mundo físico).

Como é  equilibrado  : Quando o seu quarto chakra está equilibrado, você também pode sentir amor por si e pelos outros . Mesmo quando coisas difíceis acontecem, você ainda pode ver a compaixão e a bondade nos outros.

Quando este chakra está hiperativo

Quando o chakra do coração se torna hiperativo, perdemos nossos limites pessoais e começamos a fazer escolhas prejudiciais, tudo em nome do amor.

É importante tratar-se com a mesma compaixão e bondade que você dá aos outros, mas quando o chakra do coração está hiperativo, você pode se encontrar sempre colocando as necessidades dos outros antes das suas.

Os sintomas incluem frequência cardíaca acelerada, palpitações, azia e problemas de relacionamento interpessoal.

Como equilibrar seu  quarto chakra

Equilibrar o seu quarto chakra significa levar o amor que você deu aos outros e concentrar um pouco dele em si mesmo. E você pode fazer isso fazendo uma coisa todos os dias, apenas para você:

  • Tome um banho relaxante
  • Mime-se com uma massagem
  • Medite em enviar compaixão para si mesmo

Quando este chakra está inativo

Muitas pessoas têm um quarto chakra subativo . A vida pode nos causar muitas mágoas como uma maneira de nos ensinar lições sobre nós mesmos e o mundo ao nosso redor. Mas, pode ser difícil não levar essas lições pessoalmente.

Quando o chakra do coração está sub-ativo, você sentirá que é difícil chegar muito perto de alguém.

É como construir um muro ao redor do seu coração e não deixar ninguém entrar. Fisicamente, você pode se sentir fora de contato com o corpo e sofrer de problemas de circulação.

Como energizar seu quarto chakra

Energizar o chakra do coração pode exigir muito trabalho.

Muitos de nós trabalhamos duro para construir nossos muros e defesas, e nem sempre é fácil derrubá-los. Mas começa com o amor a si mesmo.

Mostre apreço por si mesmo e dê a si mesmo o amor que deseja que os outros lhe dêem. Depois, espalhe essa compaixão pelas pessoas ao seu redor.

O quinto chakra – Garganta – Vishuddha

O quinto chakra é o chakra da  garganta  ou Vishuddha, que se traduz em “muito puro”.

Este chakra dá voz às suas verdades pessoais.

Então, de onde vem sua voz?

O que fornece a energia para você falar?

No nível físico, é claro, a resposta é a garganta, mas no nível energético, essa energia realmente vem do seu quinto chakra. Este chakra permite que você fale sua verdade com clareza.

Descansando bem acima do coração, o chakra da garganta está conectado à compaixão e ao amor que você tem por si e pelos outros.

Cor azul

Localização: O centro do chakra da garganta fica bem entre a clavícula e irradia para o centro do coração e até o centro dos olhos.

Como é  equilibrado : Quando o chakra da garganta estiver equilibrado, você será capaz de falar claramente com amor, bondade e verdade.

De fato, você saberá exatamente quais palavras são apropriadas para cada situação. E falar com um chakra da garganta equilibrado iluminará e inspirará as pessoas ao seu redor.

Quando este chakra está hiperativo

Nosso quinto chakra se torna hiperativo quando passamos muito tempo tentando fazer nossa voz ser ouvida.

Se você se sentiu frequentemente ignorado ou invalidado quando se expressou, pode ter tentado superar isso, dando a si mesmo uma voz mais alta.

Aqueles com chakras na garganta hiperativos geralmente interrompem os outros, muitas vezes lhes dizem que têm uma voz alta ou “gostam de se ouvir falar”.

Fisicamente, você pode sofrer de dor de garganta, infecções frequentes, cáries ou úlceras na boca.

Como equilibrar seu quinto chakra

Equilibrar seu quinto chakra é tão fácil quanto pensar antes de falar.

Tome do Buda, antes de dizer qualquer coisa, pergunte-se:

 É VERDADE? ISSO É NECESSÁRIO? E É GENTIL?

Quando este chakra está inativo

Às vezes, somos ignorados e invalidados tanto que reagimos da maneira oposta – fechamos nossas vozes e nunca falamos nossa verdade.

Se você tem um chakra da garganta pouco ativo, provavelmente foi chamado de tímido ou quieto. E você pode se sentir incapaz de expressar suas emoções ou lutar por palavras quando tentar falar sua verdade.

Os sintomas físicos geralmente incluem problemas digestivos, porque a energia desviada do chakra da garganta geralmente acaba sendo “engolida” ou enviada ao terceiro chakra.

Como energizar seu quinto chakra

Fale a sua verdade!

Mesmo que ninguém esteja por perto para ouvi-lo, pratique expressar suas emoções e verdades quando estiver sozinho.

É muito comum pensar que só devemos falar quando alguém está por perto para ouvi-lo, mas se você estiver tentando energizar seu terceiro chakra, não importa se ele é recebido por qualquer outro ouvido que não o seu.

O sexto chakra – O Terceiro Olho – Ajna

O sexto chakra é o Ajna do  Terceiro Olho,  que se traduz em “além da sabedoria”. Esse chakra abre sua mente para informações além do mundo material e dos 5 sentidos.

Percepção extra-sensorial, intuição ou energia psíquica, todas vêm do terceiro olho.

Na verdade, existe uma pequena glândula em forma de pinha em seu cérebro que absorve a luz. Essa glândula, a glândula pineal , é responsável por ajudá-lo a se sentir acordado durante o dia e com sono à noite.

Muito antes da imagem cerebral, as culturas antigas sabiam que esse Terceiro Olho existia e também perceberam que ele recebia informações de fontes externas aos cinco sentidos.

Cor: Indigo

Localização: O centro do terceiro olho está entre as sobrancelhas. Ele irradia para a boca e até o topo da cabeça.

Como é  equilibrado  : um terceiro olho equilibrado é uma coisa bonita, e é realmente o que você está tentando alcançar quando inicia um caminho para o desenvolvimento espiritual.

Quando seu  chakra do terceiro olho  estiver equilibrado, você se sentirá igualmente em sintonia com o mundo físico e o mundo material. Você receberá informações psíquicas com a mesma frequência que recebe informações dos seus 5 sentidos físicos, mas isso não irá sobrecarregá-lo.

Quando este chakra está hiperativo

Se você comparar com todos os 7 chakras, é muito improvável que seu sexto chakra esteja hiperativo.

A maioria de nós está muito afinada com a realidade física e acha difícil receber informações fora dela.

Dito isto, se você tem um terceiro olho hiperativo, provavelmente passa a maior parte do tempo envolvido em atividades psíquicas, como leituras de cartas de tarô, astrologia e experiências paranormais.

Quando seu chakra do terceiro olho está hiperativo, essas atividades tornam-se irresistíveis e o distraem de uma experiência humana.

Como equilibrar seu sexto chakra

Se você se sentir consumido por informações psíquicas, reserve um tempo para se lembrar de que é uma criatura da Terra.

Vá à praia e sinta a areia nos dedos dos pés. Cavar você está na sujeira em seu jardim. Conecte seu corpo à Terra e repita:

EU SOU UM SER HUMANO. EU SOU UMA PESSOA HUMANA.

Quando este chakra está inativo

A maioria das pessoas tem um sexto chakra subativo.

Vivemos em um mundo que muitas vezes invalida o desenvolvimento intuitivo.

Por causa disso, fechamos nosso Terceiro Olho e ignoramos nossas próprias experiências psíquicas. Fazer isso pode fazer com que nos sintamos desconectados das experiências espirituais. Fisicamente, você pode sentir dores de cabeça ou ter problemas com alergias e seus seios.

Como energizar seu sexto chakra

Energizar seu terceiro olho exigirá alguma prática. Você precisará dedicar algum tempo à meditação solitária e silenciosa  . Inicialmente, acostume-se à sensação de focar nos sinais fora do seu corpo físico.

Escute seu espírito e reconheça como é isso. Ao praticar isso, você achará cada vez mais fácil se conectar à energia do seu Terceiro Olho.

O sétimo chakra – Coroa – Sahaswara

O  sétimo chakra  é a coroa ou Sahaswara , que se traduz em “mil pétalas”. Esse chakra é pura energia da consciência.

O chakra da coroa é uma daquelas energias difíceis de explicar.

Você pode pensar nisso como magnetismo.

Quando você prende um pedaço de metal a um ímã, pode sentir a energia e a tensão, mas não o vê. A energia da consciência está em todo lugar e em tudo. Ele nos conecta ao universo inteiro.

Nossa consciência pessoal está localizada no sétimo chakra, mas é realmente mais como a semente de uma energia universal do que algo pessoal ou individual.

Cor: Violeta – branco

Localização: O centro do chakra da coroa está no topo da sua cabeça. Ele irradia entre seus olhos e depois se estende infinitamente para cima e para fora, conectando você à energia do resto do universo.

Como é  equilibrado : alcançar um chakra da coroa equilibrado é o objetivo de todo guerreiro espiritual, e não é fácil de fazer. Você pode pensar nisso como o conceito budista de alcançar o nirvana.

Uma vez alcançado, você não é mais humano – você venceu o sofrimento e a morte.

Obviamente, é a jornada de tentar alcançar esse equilíbrio que nos traz felicidade, boa saúde e sabedoria. Tentar equilibrar seu sétimo chakra alinhará e equilibrará seus outros chakras.

Quando este chakra está hiperativo

Não é possível ter um chakra coronário hiperativo.

Por ser a sede da energia universal, é inatamente infinita. Em outras palavras, você não pode existir no mundo material e ser dominado pela energia da consciência.

Como equilibrar seu sétimo chakra

Como ninguém tem um chakra da coroa hiperativo, não há necessidade de considerar como acalmar a energia.

Quando este chakra está inativo

Um sétimo chakra subativo significa que você é humano.

Parece exatamente como ser humano. Algumas pessoas podem estar mais perto de alcançá-lo, enquanto outras podem estar longe. De qualquer forma, praticar o desenvolvimento espiritual e equilibrar seus outros chakras o aproximará da experiência da energia da consciência em seu chakra da coroa.

Como energizar seu sétimo chakra

Em vez de tentar abrir e ativar seu chakra da coroa, concentre-se em equilibrar os outros 6 chakras.

Medite e conecte-se com o espírito  e equilibre essas atividades com viver e apreciar sua experiência humana.

Pense nisso como tentar ganhar uma medalha de ouro olímpica. Você não apenas tenta ganhar a medalha, mas também treina seu corpo e mente. A única maneira de alcançar um objetivo tão grande é se concentrar primeiro em objetivos pequenos e atingíveis.

como meditar

Como você abre seus 7 chakras?


Os chakras podem ficar entupidos e causar inúmeros problemas em sua vida cotidiana. Portanto, para recuperar seu equilíbrio energético, aqui estão algumas coisas que você pode fazer para abrir seus chakras.

1. Meditação

A meditação é talvez a ferramenta mais poderosa para abrir os chakras. A meditação dos chakras é calmante e pode melhorar a qualidade geral da sua vida.

Aqui está um guia para a meditação dos chakras que você pode ajudar a navegar em sua jornada.

2. Usando mudras e mantras

Mudras são posições específicas das mãos que ajudam a abrir os chakras. Estes são um complemento perfeito para a meditação, por isso não deixe de experimentá-los.

Mantras são sons, palavras ou frases que você pode cantar durante a meditação.

Cada chakra tem seu próprio conjunto de mudras e mantras, portanto, não tenha medo de experimentar com eles e ver como você se sente.

3. pedras de chakra

Os cristais são uma ferramenta poderosa para abrir chakras.

Quando interagimos com eles, nossa energia e a energia dos cristais se combinam e, portanto, afetam nossa saúde mental e física.

Usando esses cristais, podemos promover o movimento energético e abrir nossos chakras.

Quais são as pedras para os 7 chakras?

Felizmente, não é difícil desobstruir seus chakras. Aqui estão algumas pedras que podem ajudar:

  1. O Chakra da Raiz – Hematita, Ônix Negro e Quartzo Fumê
  2. O Chakra Sacral – Olho do Tigre e Pedra do Sol
  3. O Chakra do Plexo Solar – Jasper e Pirita
  4. O Chakra do Coração – Quartzo Rosa e Aventurina
  5. O Chakra da Garganta – Água-marinha e Sodalita
  6. O Chakra do Terceiro Olho – Ametista, Fluorita e Lolita
  7. O Chakra da Coroa – quartzo claro, ametista e pedra da lua

Então, aí está! Agora você tem uma melhor compreensão dos chakras, onde eles estão localizados e como equilibrá-los.

A cura para ansiedade através da meditação

Você está constantemente lutando contra os seus pensamentos?

Você tenta melhorar, mas a situação acaba saindo do controle e te joga em um loop mental?

E quando você menos espera, você está sofrendo um ataque de ansiedade!

Triste realidade que atormenta milhares de almas pelo mundo afora, e isso infelizmente, é mais comum do que você imagina.

Se você busca uma solução para tratar esse desconforto de forma natural, quem sabe a solução seja começar a prática da Meditação?

A meditação para a cura da ansiedade é extremamente eficaz. Leia este artigo até o final que irei te explicar como você pode desenvolver o domínio de sua mente de uma vez por todas!

O QUE É ANSIEDADE E COMO ELA SE MANIFESTA

meditacao-para-ansiedade

 

A ansiedade é uma sensação de preocupação, nervosismo ou desconforto e se encontra em vários transtornos psicológicos, como fobias, transtornos de ansiedade generalizada, síndrome do pânico, e todas essas disfunções estão diretamente ligadas ao medo.

A ansiedade bombardeia a mente com irritabilidade, descontrole emocional, insônia, falta de concentração, agitação constante, desgaste mental, etc..

Além dos sintomas psicológicos, a ansiedade também se manifesta no corpo físico, alguns dos sintomas são: tremores, falta de ar, aceleração cardíaca, suor excessivo e/ou tontura.

Muitas vezes, a pessoa que sofre desse mal até evita realizar alguma atividade ou ir para tal local, etc.. pois sabe que determinada situação vai lhe causar algum desconforto advindo da ansiedade. Isto por si só, já é uma grande limitação mental que a pessoa se impõe.

E, é claro que ninguém está aqui para julgar ninguém, estamos todos no mesmo barco, vivendo e aprendendo a cada dia que passa, as dificuldades de cada um, somente sabe quem passa por aquilo.

O estresse psicológico tem suas raízes no sentimento do medo, esse sentimento é importante para a sobrevivência humana, no que se refere ao temor diante de uma situação perigosa ou algo do tipo, fazendo com que o corpo manifeste alterações para reagir a tal situação, enfrentando ou fugindo.

Mas até que ponto isso é considerado normal?

Quando a ansiedade começa a se manifestar em momentos inapropriados, com intensidade e frequência, atrapalhando até mesmo suas atividades cotidianas, aí começa o problema.

O que é alarmante, é que muitos nem se dão conta que sofrem com esse distúrbio, por falta de conhecimento ou mesmo porque acham isso normal, e por conta disso, esses transtornos acabam não sendo tratados.

Jovens e adultos passam por essa situação frequentemente em silêncio.

Os dados das pesquisas são realmente preocupantes, de acordo com o site Sociologia Líquida, 9,3% dos brasileiros tem algum transtorno de ansiedade, os dados ainda revelam que 20% mulheres e 8% homens sofrerão com esse incômodo em sua vida:

“Nosso estado de humor muda a todo momento. Isso é normal. Mas certos padrões de pensamento podem transformar uma tristeza ou um desânimo passageiro em um estado prolongado de infelicidade, ansiedade, estresse e exaustão. Às vezes, um breve momento de irritação é capaz de deixa-lo de mau humor o dia inteiro. Descobertas científicas recentes mostram como essas variações emocionais podem levar até à depressão. Mas também apontam o caminho para nos tornarmos pessoas mais felizes e “centradas”. Os estudos descobriram que: Quando você começa a se sentir triste, ansioso ou irritado, não é o estado de humor que causa problemas, mas sim a maneira como você reage a ele. O esforço de tentar se livrar do mau humor ou da infelicidade – ou seja – tentar descobrir piora ainda mais as coisas. É como ficar preso em areia movediça: quanto mais você luta para escapar, mais afunda nela” – Williams Penman.

Paramahansa Yogananda – O Pai da Yoga no Ocidente nos brinda com sua sabedoria: “Se ligarmos uma lâmpada de 120 volts numa linha de 2.000 volts, ela se queimará imediatamente. Analogamente, o sistema nervoso não foi feito ara suportar a força destrutiva da emoção intensa ou de persistentes pensamentos e sentimentos negativos. Demorar-se, com indulgência, em pensamentos de medo, raiva, melancolia, remorso, inveja, o tempo todo, e a falta de condições para uma vida normal e feliz – tais como alimentação correta, exercícios adequados, ar puro, sol, trabalho agradável e um propósito na vida – originam moléstias nervosas.”

Portanto, se você sofre com esse problema e já não aguenta mais, você está no lugar certo! Existe solução e você vai conseguir dominar a sua mente!

COMO A MEDITAÇÃO PODE ME AJUDAR A CURAR A ANSIEDADE? 

O primeiro passo para se livrar desse infortúnio é buscar ajuda, se você está aqui lendo este artigo, já é o primeiro passo para você alcançar a vitória e desenvolver o controle mental.

A meditação pode ser a solução que você tanto buscava.

Mas afinal, o que é meditação?

Meditar é praticar técnicas específicas que nos ajudam a focar nossa atenção em um único ponto, com o objetivo de alcançar clareza mental, emocional e desenvolver o autoconhecimento.

Quando meditamos nos equilibramos nos aspectos físico, mental e espiritual, trazemos a paz que reside em nosso interior para a nossa realidade externa e tudo acaba por se estabilizar.

“Tudo o que você faça, deve ser feito em paz. Eis o melhor remédio para o seu corpo, sua mente e sua alma. Eis a maneira mais sublime de viver. Devemos modelar nossa vida segundo uma estrutura triangular: tranquilidade e doçura são os dois lados, a base é a felicidade. Todos os dias, lembre-se: “Sou um príncipe da paz, sentado no trono do equilíbrio, dirigindo meu reino de atividades”. Atue uma pessoa rápida ou vagarosamente, na solidão ou nas agitadas aglomerações humanas, ela deve centrar-se na paz e no equilíbrio.” – Paramahansa Yogananda.

 

EXERCÍCIO DE MEDITAÇÃO PARA ANSIEDADE 

Agora, apresento a você um breve exercício de meditação que irá te ajudar a se acalmar:

  1. Sente-se com a coluna ereta, em posição de lótus ou em uma cadeira de encosto reto.
  2. Feche seus olhos e concentre-se na sua respiração. Perceba o ar entrar e sair do seu corpo e as diferentes sensações que você sente.
  3. Pode ser que a sua mente comece a divagar, se acontecer isso, volte o seu foco novamente para a sua respiração.
  4. Permita-se estar no Agora, relaxe.
  5. Se você preferir, você pode repetir mentalmente algum mantra como: Eu sou a Paz, eu sou a Tranquilidade.
  6. Medite em silêncio por alguns minutos e deixe a paz te envolver!
  7. Após alguns minutos, abra os olhos devagar e conserve essa paz da meditação pelo máximo de tempo que conseguir.

Perceba os seus pensamentos, eles vêm e vão, você percebe que você é o observador e é você quem controla os seus pensamentos. Pratique quantas vezes você achar necessário, sempre que se sentir à beira de um ataque de nervos, pare e relaxe, volte sua mente para o paraíso portátil interior, o maravilhoso lago da paz que reside em você.

Você irá sentir os benefícios de forma progressiva, quanto mais você meditar, mais retorno positivo você terá!

OS BENEFÍCIOS DA MEDITAÇÃO

como meditar

  1. Acalma e Tranquiliza

A meditação direciona a energia para seu interior, produzindo estabilidade corporal e mental, levando-a à calma. Essa técnica produz sensação de relaxamento e tranquilidade.

  1. Ajuda a desenvolver amor ao próximo

A meditação nos ajuda a acionar as qualidades de paz e do amor, e com isso percebemos que estamos todos interligados nessa grande teia de luz fiada pela sabedoria da Inteligência Superior.

  1. Aumenta a concentração 

A meditação contribui para o funcionamento da atenção, o que, por consequência, faz com que o praticante se torne mais consciente e perceba o que acontece em seu mundo interno e externo. A expansão do foco aumenta o potencial de concentração durante a prática da meditação. Portanto, o praticante leva essa habilidade para a realização de suas atividades.

  1. Instaura o autocontrole e incentiva o autoconhecimento 

Com a aquisição da calma, concentração e tranquilidade, começa a florescer o autocontrole, que se inicia com a observação da própria respiração e do foco da atenção durante a prática meditativa. A pessoa passa a ter mais controle de suas ações, dos atos impulsivos, de suas emoções, passando a lidar melhor com a ansiedade, raiva, tristeza ou nervosismo. Aumentando o autocontrole, a pessoa vai, aos poucos, desenvolvendo o autoconhecimento que é fundamental para a expansão da consciência.

  1. Desperta a intuição e a sabedoria

As pessoas fazem escolhas e tomam decisões, para desenvolver o discernimento, ou seja, para aprender a escolher o que é melhor é preciso ouvir a intuição. Somente através da paz interior, com o relaxamento da mente e do corpo é que podemos sentir e ouvir a voz de nosso coração. Com a prática da meditação despertamos a intuição naturalmente, como o desabrochar de uma flor.

  1. Nos desperta a cultivar bons pensamentos

Buda já dizia: “Somos o que pensamos. Tudo o que somos surge com nossos pensamentos. Com nossos pensamentos, fazemos o nosso mundo.”

A meditação pode mostrar a você como tornar sua vida mais alegre, com o cultivo dos pensamentos positivos. Existem técnicas de meditação que atuam diretamente nesse tópico e podem influenciar, desde já, a cultivar seus pensamentos para que sua vida seja um reflexo do amor, benevolência, caridade, saúde, paz, prosperidade.

  1. Ajuda a acessar as qualidades da alma

Em nosso corpo físico reside a nossa alma – plena de abundância, as mais belas qualidades. O esforço da meditação diária nos auxilia a nos reconectarmos com essas qualidades de nossa alma. Somos seres de Luz e Amor.

  1. Incentiva o cultivo dos bons hábitos

A meditação, com fundamento no conhecimento da Yoga, tem por objetivo ajudar você a compreender como pode analisar seus hábitos e transmutá-los quando preciso, cultivando assim, os bons hábitos.

  1. Conduz o praticante a um estado de felicidade permanente.

Na obra “Onde Existe Luz”, Paramahansa Yogananda diz: “A natureza da alma é bem-aventurança: um estado interior de sempre nova alegria…”

O praticante de meditação, a cada dia, vai desenvolvendo e cultivando mais e mais, essa sempre nova felicidade, um estado de alegria duradoura, que está em seu interior independente do que aconteça à sua volta.

É claro que é necessário empenho, foco e prática para que possa ir gradativamente alcançando esse estado de bem-aventurança.

DESPERTE O SEU PODER – DESENVOLVA O CONTROLE MENTAL

Aonde quer que esteja, sempre que sentir necessidade, controle sua respiração, concentre-se e repita mentalmente: Eu sou a paz, nada pode me abater, eu sou parte da Centelha Divina.

“Dentro de cada um de nós existe um templo de quietude, que não permite a intrusão das agitações do mundo. Independentemente do que possa estar ocorrendo ao nosso redor, quando entramos no santuário de silêncio em nossas almas, sentimos a abençoada presença de Deus e recebemos Sua paz e Sua força.” – Sri Daya Mata (MATA. 2008. p. 5)

“Onde existe luz, não pode haver escuridão” – Paramahansa Yogananda (YOGANANDA. 2008).

Que a prática da meditação leve muita luz à sua vida hoje e sempre!

Namastê.

meditacao-para-ansiedade

Meditação para Ansiedade – Guia Prático para Reduzir o Stress

As práticas de meditação mindfulness fazem com que se torne possível criar uma distância saudável entre você e seus pensamentos ansiosos, dando-lhe a oportunidade para escolher como responder a eles. Descubra como amenizar os sentimentos de ansiedade e como reduzir o estresse em nosso novo guia de meditação para a ansiedade.

Mindfulness e meditação são um campo de estudo crescente que se mostraram eficazes para a redução da ansiedade. Este guia não pretende servir como uma ferramenta de diagnóstico ou um caminho de tratamento – é uma coletânea de pesquisas e de algumas práticas que você pode utilizar para reduzir a ansiedade, o estresse e aumentar a sua qualidade de vida.

A ansiedade nos esgota mentalmente e é capaz de trazer severas consequências para o nosso corpo. Muitos dizem que serve de estímulo para que possamos produzir e fazer diversos projetos acontecerem – e isso é verdade, até certo ponto. A partir do momento que você se sente paralisado, com apertos no peito, dores de cabeça, além dos mais variados sintomas, está na hora de procurar ajuda.

Mindfulness é a capacidade humana básica de estarmos totalmente presentes, conscientes de onde estamos e o que estamos fazendo, ao contrário de estarmos excessivamente reativos ou sobrecarregados com o que está acontecendo ao nosso redor. Muito menos lembrando de situações, sensações e sentimentos passados ou supondo acontecimentos futuros.

Quando se cria um espaço entre você e o que está passando na sua mente no momento que está vivendo, sua ansiedade tende a diminuir.

 

Mindfulness não é um remédio para todos os males. Não é a escolha mais adequada para todos. Mas de acordo com pesquisas, quando se cria um espaço entre você e o que está passando na sua mente no momento que está vivendo, sua ansiedade tende a diminuir, pois você sai do piloto automático e tende a poder escolher como quer se comportar naquele momento.

O estresse e a ansiedade crescem gradualmente quando nos acostumamos com eles sempre presentes, podendo até mesmo se tornarem um hábito. Fisiologicamente falando, o estresse e a ansiedade desencadeiam um aumento na liberação de adrenalina e cortisol – os “hormônios do estresse”. O excesso de adrenalina pode aumentar o risco de ataques cardíacos e derrames; já o excesso de cortisol pode afetar nossa saúde de várias maneiras – aumentando os níveis de açúcar no sangue, suprimindo o sistema imunológico e contraindo os vasos sanguíneos.

Quando a adrenalina e o cortisol são liberados na corrente sanguínea, o fígado produz mais glicose, que fornece energia para ativar nosso mecanismo de luta ou fuga. Consequentemente, estamos programados para entrar no modo de reação automática cada vez que isso acontece, causando um aumento na pressão sanguínea, nos batimentos cardíacos e nos níveis de colesterol, o que interrompe nosso sistema imunológico ,além de prejudicar os níveis de energia e de sono.

É importante discernir claramente a diferença entre reagir por impulso e responder com atenção, para que evitemos criar ainda mais sofrimento em nossas vidas.

Dessa forma, devido aos efeitos fisiológicos causados pelo estresse e ansiedade, nos envolvemos em padrões de reatividade automática e criamos ainda mais sofrimento em nossas vidas. É por isso que é tão importante discernir claramente a diferença entre reagir por impulso e responder com atenção.

O que acontece com nossos pensamentos de ansiedade e estresse quando praticamos meditação Mindfulness

1- Mindfulness faz com que você aprenda a ter sentimentos difíceis e a não analisá-los, suprimi-los ou incentivá-los. Sua mente aprende a lidar com as preocupações, irritações. lembranças dolorosas e outros pensamentos e emoções difíceis quando você se permite sentir e reconhecer tudo isso.

2 – Mindfulness permite que você descubra com segurança quais as verdadeiras causas do seu estresse e preocupação. Ao conseguir compreender o que está acontecendo, em vez de gastar energia combatendo ou evitando aquele sentimento, você cria a oportunidade de obter informações sobre o que está motivando suas preocupações.

3- Mindfulness ajuda você a criar uma distância saudável em torno de suas preocupações, para que elas não o consumam. Quando você começa a entender as reais causas de sua apreensão, uma sensação de liberdade e distância surgem naturalmente. Você começa a ser capaz de analisar o que está sentindo a partir do ponto de vista do observador.

Em essência, praticar mindfulness é um processo de aprender a saber lidar com sentimentos de desconforto, como ansiedade, estresse e até mesmo tristeza em vez de tentar fugir deles ou analisá-los.

Em essência, praticar mindfulness é um processo de aprender a saber lidar com sentimentos de desconforto, como ansiedade, estresse e até mesmo tristeza em vez de tentar fugir deles ou analisá-los.
A Ciência por trás da Atenção Plena (Mindfulness)

beneficios-cientificos-mindfulness-atencao-plena-meditacao

A ansiedade é um estado cognitivo conectado a uma incapacidade de regular emoções. Porém, pesquisas mostram que uma prática consistente de meditação mindfulness é capaz de reprogramar as vias neurais no cérebro  e, portanto, melhorar nossa capacidade de regular emoções.

Jon Kabat-Zinn descreve isso como “a conscientização que surge ao prestar atenção, de propósito, no momento presente, sem julgamento”, acrescentando: “a serviço da autocompreensão e da sabedoria”.

Ao tomar consciência do momento presente, temos acesso a recursos que talvez nem percebêssemos que estavam conosco o tempo todo – quietude, paz e serenidade. Mudar a situação pela qual se está passando nem sempre é possível, mas você pode aprender a mudar sua resposta em relação à essa situação.

Ao tomar consciência do momento presente, temos acesso a recursos que talvez nem percebêssemos que estavam conosco o tempo todo – quietude, paz e serenidade.

O MBSR (Redução do Estresse Baseado em Minfulness), fundado por Jon Kabat-Zinn, é um tipo específico de prática de mindfulness que aborda o estresse e a ansiedade da vida cotidiana. O programa de 8 semanas incorpora práticas de mindfulness que permitem trazer consciência e reconhecimento de todos os sentimentos nervosos ou ansiosos no corpo e mente e simplesmente permitir que eles existam. Programas de 8 semanas baseados no MBSR pode ser feito em diversos centros ao redor do mundo. Acesse aqui (https://spmindfulness.com.br/programa-de-qualidade-de-vida/) e conheça o que o Centro de Promoção de Mindfulness tem para te oferecer.

O uso de mindfulness é apoiado por uma crescente literatura neurocientífica, demonstrando mudanças reais nos neurônios após praticar as técnicas. Essa habilidade cerebral pode ter efeitos benéficos de longo alcance, não apenas transformando neurônios cerebrais, mas melhorando a imunidade, a saúde, a vida e a satisfação nos relacionamentos. Mindfulness tem o potencial de transformar não apenas indivíduos, mas também empresas, instituições e a sociedade.

crise-de-panico-meditacao

Jon Kabat-Zinn definiu a prática de mindfulness como uma maneira de prestar atenção propositalmente e com aceitação, sem o julgamento da sua experiência no momento presente. Dessa forma, quando você pratica a adoção da postura de mindfulness, tanto em momentos de estresse e ansiedade como em qualquer tipo de situação, é possível criar um espaço, uma distância . A partir daí, torna-se possível que você examine seus pensamentos, sentimentos ou sensações corporais de forma paciente, em vez de simplesmente seguir seus impulsos. Você substitui o medo de sua própria experiência interior por uma atitude curiosa, gentil e acolhedora – livre de julgamento, culpa própria e aversão. As técnicas de mindfulness para reduzir a ansiedade e o estresse permitem que você permaneça ancorado no momento presente, mesmo quando enfrenta momentos difíceis, para que seus sentimentos estressantes e ansiedade tornem-se mais administráveis ou menos avassaladores.

Em vez de agir e reagir no piloto automático, quando você está atento, consegue analisar seus sentimentos de estresse e ansiedade de um ponto de vista do observador.

As práticas de mindfulness aplicadas em tratamentos de saúde são aceitas em todo o mundo e são sustentadas pelas pesquisas neurocientíficas. Profissionais de saúde mental usam essas práticas para tratar depressão , ansiedade e até mesmo dependências químicas. A atenção plena também demonstrou encolher a amígdala (o centro de alarme do cérebro) e proteger o hipocampo de ser danificado pelo estresse.

Como Lidar com os Pensamentos de Nervosismo, Estresse e Ansiedade Praticando Mindfulness e Meditação

meditacao-para-ansiedade

Os pensamentos ansiosos, nervosos e as distorções cognitivas (que são os pensamentos exagerados e irracionais) são chamados muitas vezes pelas pessoas de “conversa interna negativa” ou “pensamento negativo”. Estes tipos de pensamentos são persistentes e geralmente acompanham a pessoa por longos anos. Mindfulness não se propõe a corrigir o conteúdo de nossos pensamentos complexos, mas nos torna mais consciente e íntimo desses pensamentos e padrões. Ter própria consciência dos pensamentos contribui para reduzir a quantidade de pensamentos e ideias persistentes e perniciosas.

Mindfulness não se propõe a alterar ou corrigir nossos pensamentos complexos, mas a tornar-se mais consciente e íntimo desses pensamentos e padrões. Ter consciência dos pensamentos contribui para reduzir a quantidade de pensamentos e de ideias persistentes e perniciosas.

Para saber lidar com os pensamentos ansiosos, há 3 três pontos que devem ser lembrados:

meditacao-guiada-ansiedade

1. Permitir que emoções negativas existam em nossas vidas – por enquanto – não significa que escolhemos não agir. O conceito de aceitação é desenvolver uma relação diferente com a experiência, caracterizada por permitir sua existência. Permitir conscientemente que sentimentos difíceis estejam acontecendo significa registrar sua presença antes de fazer uma escolha sobre como responder a eles. É importante ressaltar que “permitir” não é o mesmo que renunciar, ser passivo ou desamparado.

2. Negar que um padrão mental negativo esteja acontecendo é prejudicial para sua saúde mental. O oposto de permitir é pior ainda. Não estar disposto a experimentar pensamentos, sentimentos ou sensações negativas é frequentemente o primeiro elo de uma cadeia mental que pode levar ao estabelecimento de padrões automáticos, habituais e críticos da mente. Você pode ver isso quando alguém diz: “Eu sou estúpido em pensar assim” ou “Eu deveria ser forte o suficiente para lidar com isso”. Por outro lado, mudando a postura básica em relação à experiência, de um de “não querer” para uma “abertura” permite que essa reação em cadeia das respostas habituais seja alterada. Sendo assim, o “Eu deveria ser forte o suficiente” muda para “Ah, o medo está aqui” ou “O julgamento está presente”.

3. A aceitação ajuda você a lidar com cada experiência desagradável. Frequentemente “sabemos” intelectualmente que pode ser bastante útil termos uma atitude mais compassiva, amorosa, atenciosa em relação a nós mesmos e em relação ao que estamos sentindo, porém temos pouca ideia de como fazer isso! É improvável que essas capacidades sejam produzidas apenas nos esforçando, com a famosa expressão “ para conseguir basta ter força de vontade” . Não é tão simples assim. É preciso utilizar técnicas e prática repetidas vezes durante um certo tempo para que você aprenda a lidar com aceitação e amorosidade em cada experiência desagradável.

Trazer a atenção e a conscientização para as sensações que acompanham experiências difíceis oferece a possibilidade de aprender a se relacionar de maneira diferente com essas experiências a cada momento. Com o tempo, por meio das técnicas e práticas de meditação mindfulness, torna-se mais fácil permitir experiências desagradáveis e ainda assim ficar bem com isso.

EXERCÍCIO PRÁTICO DE MEDITAÇÃO PARA LIDAR COM O ESTRESSE E A ANSIEDADE

meditação guiada tecnicas

Aqui estão algumas instruções para uma meditação básica de consciência da respiração. Faça isso uma ou duas vezes por dia durante duas semanas e observe o que acontece. Não há maneira certa ou errada de executar essa prática de mindfulness. Tente aceitar qualquer que seja sua experiência individual. O objetivo não é atingir o foco perfeito em sua respiração, mas aprender como sua mente funciona! É normal que sua mente divague, mas quando você conseguir trazê-la de volta, significa que você já está aprendendo a controlar conscientemente o foco de sua atenção. Leia agora mesmo o passo a passo e experimente!

1. Escolha um lugar confortável e tranquilo, onde você não seja perturbado.

2. Sente-se com a coluna ereta em uma almofada no chão ou em uma cadeira. Se você usar uma cadeira, certifique-se que se seus pés estejam tocando o chão. Feche os olhos ou mantenha um olhar suave e sem foco.

3. Comece a perceber sua respiração. Tente manter uma atitude aberta e curiosa. Observe para onde vai a respiração quando entra e sai do corpo.

4. Não tente forçar ou mudar a respiração de forma alguma. Ela acaba mudando naturalmente conforme você a observa.

5. Se sua mente divagar, observe o que está fazendo e, gentilmente, volte sua atenção para a respiração.

6. Continue observando a respiração por oito a dez minutos. No final da prática, observe como sua mente e seu corpo se sentem e depois volte lentamente a atenção para a sala.

Enquanto você dá continuidade a essa prática por duas semanas, observe se sua mente resiste à ideia de mudança criando pensamentos de julgamento, como se não fosse capaz de mantê-los ou se não servisse para nada. Você não precisa acreditar nos seus pensamentos de julgamento; precisa apenas observá-los. Tente substituir sua atitude de julgamento por uma de curiosidade e mantenha a mente aberta para não limitar prematuramente sua experiência.

10 Atitudes para Desenvolver Atenção Plena

Atitudes mindfulness ( atenção plena)

Mindfulness é um treino mental: técnicas são aplicadas e os resultados aparecem com a continuidade e persistência das práticas. Para se ter uma mente plena e consciente do aqui e agora é preciso adotar um outro ponto de vista, uma nova forma de pensar, agir e fazer. Saber disso e procurar se adequar a essa nova forma de atitude vai te ajudar a desafiar pensamentos, sentimentos e atitudes ansiosas habituais.

Mindfulness é um treino mental: técnicas são aplicadas e os resultados aparecem com a continuidade e persistência das práticas.

Há algumas atitudes que são fundamentais para o estabelecimento da mindfulness no cotidiano. Leia agora e descubra quais são as seis atitudes que se deve ter para você conseguir estabelecer mindfulness na sua rotina.

1. Intenção – é a base que apóia todas as atitudes. Sua intenção ou vontade é o que o coloca no caminho consciente de trabalhar dentro de si mesmo, com o objetivo de transformar gradualmente sua ansiedade em liberdade e paz. Ao trazer a intenção de evitar ser ansioso, você acaba desenvolvendo persistência e autoconfiança. Definir uma intenção pode ajudá-lo a se concentrar e a lembrar o porquê de estar fazendo determinada ação.

2. Mente curiosa – ter uma mente curiosa é ter uma mente aberta e enxergar a partir de uma nova perspectiva. Enfrentar a ansiedade dessa maneira, com curiosidade, pode desempenhar um papel extremamente importante na transformação de sua experiência. Quando você está disposto a adotar outro ponto de vista, surgem novas possibilidades, e isso pode ajudá-lo a desafiar pensamentos e sentimentos ansiosos habituais.

3. Paciência – é uma qualidade que permite que você veja que os momentos de ansiedade passarão com o tempo e que mesmo com as dificuldades, saberá como lidar com seus momentos estressantes e ansiosos.

meditacao guiada ansiedade e depressão

4. Reconhecimento – é a qualidade de conhecer sua experiência como ela é. Por exemplo, em vez de tentar aceitar ou estar em paz com a ansiedade, você a conhece e a experimenta. Você pode reconhecer que a ansiedade está presente e o quanto você não gosta dela, mesmo quando aplica paciência e vê a ansiedade como temporária, sabendo que ela passará.

5. Não julgar – significa experimentar o momento presente sem os filtros da avaliação. Em meio à ansiedade, pode ser fácil demais experimentar uma camada secundária de julgamento, além dos próprios sentimentos de ansiedade. Quando você deixa de lado as avaliações, muitas fontes de ansiedade simplesmente desaparecem. Quando você sente ansiedade, adotar uma postura sem julgamento pode restaurar sua mente a um estado mais equilibrado.

6. Não confrontar- é a qualidade de estar disposto a encontrar qualquer experiência como ela é, sem tentar mudá-la. Deve-se entender a importância de permitir as coisas serem como elas são – estar com a sua experiência sem se apegar ou rejeitar o que está lá. Se você puder fazer uma pausa e realmente ficar com sua experiência sem exercer nenhuma força contra ela, terá a oportunidade de conhecer sua experiência mais claramente e escolher sua resposta.

 

7. A autoconfiança – é uma qualidade importante para o desenvolvimento da confiança interior. Com a prática, você pode aprender a confiar em si mesmo e na sua capacidade transpor a sua ansiedade e voltar ao seu momento de tranquilidade e paz.

8. Autocompaixão- é uma qualidade que anda de mãos dadas com a bondade. No entanto, na maioria das vezes, muitas pessoas acabam sendo seus próprios adversários. A maioria de nós provavelmente nunca trataria outra pessoa da maneira que às vezes nós nos tratamos. A autocompaixão crescerá naturalmente à medida que você pratica meditação. Ao trazer essa qualidade à sua experiência de ansiedade, pode-se fazer com que você se torne o seu melhor amigo em meio às dificuldades,permitindo ajudar a si mesmo. A autocompaixão e a ansiedade são inversamente proporcionais, quando uma diminui a outra aumenta e vice-versa, de forma natural.

9. Equilíbrio e equanimidade – são qualidades relacionadas que promovem a sabedoria e fornecem uma perspectiva mais ampla para que você possa ver as coisas com mais clareza. Nessa perspectiva, você entende que todas as coisas mudam e que sua experiência é muito mais ampla e rica do que experiências temporárias de ansiedade e outras dificuldades.

10. Não esforço – é a qualidade de estar disposto a conhecer qualquer experiência como ela é, sem tentar alterá-la. Com o não esforço, você entende a importância de estar com as coisas como elas são – estar com a sua experiência sem se apegar ou rejeitar o que está lá. Atenção: o não-esforço se relaciona às suas experiências do momento presente durante a meditação e de maneira alguma nega o valor de estabelecer uma intenção sábia de crescer, aprender e mudar seu relacionamento com ansiedade. No meio de uma ansiedade forte, a primeira resposta é muitas vezes fugir ou sair da situação. Se você puder fazer uma pausa e realmente ficar com sua experiência sem exercer nenhuma força contra ela, terá a oportunidade de conhecer sua experiência mais claramente e escolher sua resposta. Você também pode ficar com menos medo das sensações, pensamentos e emoções físicas que acompanham a ansiedade.

EXERCÍCIO PRÁTICO – PRÁTICA DE MINDFULNESS QUANDO SE ESTIVER EM CONTATO COM A NATUREZA E OUTRAS DIVERSAS SITUAÇÕES

Enquanto você caminha em uma praça, na praia, em um parque, em qualquer lugar em que se estiver em contato com a natureza – comece a perceber o ambiente como um todo, percebendo também como se sente nesse ambiente. Confira o passo a passo desse exercício e aproveite!

1. Traga sua atenção lentamente para o que vê. Observe as cores: os ricos marrons da terra, os verdes das árvores ou os azuis do céu ou da água. As cores são brilhantes ou opacas? Observe quais chamam sua atenção. Observe luz e sombras, formas e texturas. Quais superfícies são lisas e quais são irregulares? Quais superfícies são angulosas e o que tem formato arredondado? Apenas observe tudo o que você vê. Agora preste especial atenção a um objeto específico da sua escolha – talvez uma árvore ou uma flor – e observe sua cor, forma e textura.

2. Concentre-se no que você ouve. Talvez você ouça o canto dos pássaros, o som do vento ou de um riacho. Observe os sons que seus pés emitem quando esmagam o cascalho ou afundam na terra. Você ouve as vozes das pessoas? Você ouve um cachorro latindo? Observe o tom e o ritmo dos sons. Quais atraem você? Observe como os sons emergem e depois desaparecem – tente perceber o silêncio entre os sons. Agora escolha um desses sons para focar. Observe seu tom e ritmo. Observe se ele permanece constante ou se sofre alguma alteração.

3. Observe agora os cheiros. Os odores ao seu redor podem ser doces ou picantes, terrosos ou frescos, fracos ou intensos. Escolha apenas um destes para focar – talvez o cheiro da terra ou o perfume das flores – e observe tudo o que puder sobre isso.

4. Observe suas sensações. Observe a temperatura do ar. Observe a sensação do sol ou a brisa fresca em sua pele. Observe se o ar está se movendo rápido ou devagar. Observe a sensação do chão sob seus pés.

5. Observe como você se sente dentro do seu corpo. Como é dentro do seu peito, costas e barriga? Você se sente mais tranquilo e calmo do que quando começou essa prática? Você sente alguma parte de você abandonar a tensão e fadiga?

6. Observe como seus pés se sentem ao caminhar. Tente diminuir o ritmo da caminhada para perceber cada passo: Pé direito para cima, avançando e depois para baixo. Pé esquerdo para cima, avançando e depois para baixo …

Para uma versão curta dessa prática de mindfulness para redução do estresse e ansiedade, preste atenção em apenas um sentido.

Por exemplo, concentre-se apenas no que vê ou no que você ouve, cheira ou sente. Ou apenas observe cada passo que você dá enquanto caminha, sem se concentrar no ambiente. Você também pode praticar esta técnica de mindfulness em qualquer lugar, a qualquer momento – não apenas na natureza.

****

Mindfulness é um estado mental, uma maneira intencional de olhar sua experiência no presente, no aqui e agora. Em vez de agir e reagir no piloto automático, quando você está atento, você consegue analisar seus sentimentos de estresse e ansiedade do ponto de vista do observador.

Além disso, ao praticar mindfulness e meditação, você pode começar a entender melhor como suas emoções, pensamentos e sentimentos afetam sua vida. Além disso, você conseguirá estar ciente do estresse e da ansiedade que fluem pela mente e pelo corpo sem se sentir totalmente fundido a ela. Você consegue enxergar que é maior do que tudo o que está acontecendo em sua mente e seu corpo no momento.

Ao praticar a meditação mindfulness, você pode começar a entender melhor como suas emoções, pensamentos e sentimentos afetam sua vida.

Se você deseja dar um pequeno passo direção a um estilo de vida mais feliz, saudável e calmo, a meditação mindfulness em é um ótimo começo. Pratique os exercícios desse artigo e comprove você mesmo os benefícios e sinta a diferença.

Para se aprofundar em mindfulness e transformar sua saúde, seus relacionamentos, vida pessoal e profissional, confira nossa agenda em https://spmindfulness.com.br/agenda/, que está imperdível para os próximos meses. Nossos professores são profissionais de saúde com reconhecida experiência no ensino e pesquisa de Mindfulness com formação profissional nos principais centros de treinamento no Brasil e no mundo.

Os treinamentos em mindfulness são oferecidos segundo as diretrizes clínicas e científicas vigentes internacionalmente. Acesse https://spmindfulness.com.br/curso-mindfulness-online/ e conheça nosso curso online de mindfulness e faça-o no seu tempo e no seu ritmo.

Como Controlar os Pensamentos – 3 Dicas Práticas para Ensinar as Crianças

As crianças têm pensamentos ansiosos o tempo todo …

“Eu não sou bom em matemática e nunca entrar na faculdade.”
“Eu estraguei essa conversa agora, e todo mundo sabe disso.”
“E se eu não for convidado para a festa? Eu me sentirei um perdedor.”

A pesquisa nos mostra que os pensamentos de ansiedade são muitas vezes desproporcionais, distorcidos ou simplesmente confusos. No entanto, os pensamentos têm poder. Por quê? Porque os pensamentos influenciam os sentimentos e comportamentos.

Um pensamento simples que passa pela mente de uma criança pode fazer com que ela se sinta assustada, preocupada ou triste; isso pode fazer com que elas fiquem de mau humor, isolam-se ou encene.

Aqui está este ponto ilustrado de outra forma:

Pensamentos → Sentimentos → Comportamento

Exemplo:

“Ninguém gosta de mim.” → Tristeza e constrangimento → Ignorando a escola

Pensamentos ansiosos também podem se tornar habituais e levar as crianças a uma espiral descendente de negatividade.

Então, e se pudéssemos ensinar nossos filhos a recuperar um pouco desse poder? E se pudéssemos ensiná-los a escolher quais pensamentos eles “ouvem” ou reagem? Nós podemos. O primeiro passo neste processo é o foco do minucioso exercício consciente de hoje sobre a observação do pensamento.

Por que a atenção plena (mindfulness) é boa?

No final dos anos 1970, o psicólogo do desenvolvimento John Flavell deu um nome à ideia de que os humanos estão cientes de sua própria capacidade de pensar. A cognição sobre nossa própria cognição (ou pensar sobre o pensamento) foi rotulada de metacognição.

Como seres metacognitivos, temos a capacidade de nos desvencilhar de nosso próprio pensamento com o uso da meditação da atenção plena. De acordo com um pioneiro no campo, Jon Kabat-Zinn , a atenção plena é uma prática mental de permanecer presente no momento de maneira não crítica. No coração dessa prática está a ideia de que você não é seu pensamento .

Com isso em mente, o objetivo de nossos filhos é aprender a observar seus pensamentos como algo separado de si mesmos. Neste, é mais fácil ver que os pensamentos são transitórios; as crianças também aprendem que têm a opção de agir de acordo com seus pensamentos.

Um corpo substancial de pesquisas mostra que as práticas de atenção plena têm benefícios incríveis para as crianças. Aqui está uma pequena amostra de descobertas:

  • Pesquisas mostram que ensinar habilidades de atenção às crianças leva a um maior bem-estar e menos estresse.
  • Pesquisas mostram que a atenção plena (mindfulness) melhora a capacidade das crianças de se recuperarem dos desafios.
  • Pesquisas mostram que as crianças gostam de aprender técnicas de mindfulness; Em um estudo, 74% das crianças disseram que continuariam a praticar a atenção plena após o término do treinamento.

Como praticar a observar seus próprios pensamentos?

Ensinar as crianças a se desvencilharem dos seus próprios pensamentos parece um pouco complexo, mas não subestimemos nossos filhos – eles são extraordinariamente esperto e autoconscientes. É nossa responsabilidade aproveitar essa autoconsciência e alavancar o amor das crianças pela criatividade para tornar as lições relevantes. Em outras palavras, use uma linguagem que faça sentido e torne-a divertida!

3 exercícios práticos para ensinar as crianças a controlarem os pensamentos

  1. Ensine seu filho que os pensamentos são como trens que entram e saem de uma estação movimentada; eles podem simplesmente ficar na plataforma e assistir os trens passarem. Para praticar, peça ao seu filho para pensar em um pensamento ansioso recorrente. Agora, peça ao seu filho para visualizar o trem (pensamento) que chega à estação.
  2. Explique que quando o trem (pensamento) chega, às vezes ele simplesmente passa e às vezes pára por um tempo. Quando o trem (pensamento) fica na estação por um tempo ou permanece em nossa mente, eles podem começar a sentir emoções diferentes. Tudo bem sentir as coisas; não tem problema. Este é um bom momento para respirar profundamente e expirar. Concentre-se na respiração e não no trem, porque logo passará.
  3. Peça que seu filho “observe” enquanto o trem parte. Explique que com o tempo, assim como o trem, nossos pensamentos seguem em frente e ficamos para trás.

Estes simples exercícios podem ensinar nossos filhos a não reagirem a todos os pensamentos que tiverem. Nós podemos simplesmente observá-los. Ao fazer isso, o objetivo não é mudar nossos pensamentos, mas sim mudar nosso relacionamento com eles.

Como Meditar Bem – Guia Prático de Meditação para Iniciantes

Como Meditar Corretamente

Diminuição do estresse, capacidade de regular emoções, pensar com mais clareza, desenvolver maior empatia e compaixão pelas pessoas. Esses são alguns dos muitos benefícios da prática da meditação. Mas…Como meditar? Você deve estar aí se perguntando.Calma, vamos orientá-lo. Antes, temos de informar que a intensidade, bem como o tempo a que a pessoa destina para a prática da meditação, podem potencializar as sensações de bem-estar – que são diferentes para cada um.

Responda uma pergunta: quando você pensa em meditação, o que vem à sua mente? Se for a imagem de um santo, nos Himalaias, uma figura iluminada em postura de lótus, temos algo a te dizer: não é preciso ir até esta bela cordilheira – muito embora o passeio valha a pena. Não é preciso ser um Buda ou um Jesus para iniciar a sua prática. Paramahansa Yogananda, grande mestre indiano e pai da yoga no Ocidente, pode te auxiliar nos primeiros passos dessa empreitada.

A meditação altera fisicamente o cérebro

Um programa de oito semanas de meditação pode ocasionar mudanças mensuráveis em regiões cerebrais associadas a atenção, empatia e percepção de si mesmo.

A meditação concentra-se na percepção, livre de julgamentos, dos sentimentos, sensações e estados mentais de si mesmo – o que geralmente resulta numa sensação de total relaxamento e paz plena.

No estudo, feito nos Estados Unidos, foram utilizados exames de ressonância magnética para avaliar a estrutura cerebral de 16 voluntários nas duas semanas anteriores e posteriores ao programa de oito semanas de Meditação Para a Redução do Estresse da Universidade de Massachusetts (EUA).

O programa incluiu encontros semanais para a prática de meditação e gravações em áudio para a prática de meditação guiada. Os participantes tiveram de monitorar o tempo diário de prática. Para fins comparativos, os pesquisadores também analisaram exames de ressonância magnética de um grupo-controle que não praticou a meditação.

meditacao-cerebro-universo-empatico

Os participantes do grupo de meditação passaram, em média, 27 minutos diários praticando. Os exames de ressonância magnética realizados depois do período de oito semanas, revelaram um aumento na densidade da massa cinzenta do hipocampo (região cerebral ligada ao aprendizado e à memória) e em estruturas associadas à compaixão e à auto-percepção.

Os investigadores também constataram que a redução de estresse relatada pelos participantes foi associada à diminuição da densidade da massa cinzenta da amídala cerebral, que exerce um importante papel na ansiedade e estresse. Nenhuma das alterações da estrutura cerebral foi observada no grupo-controle.

“É fascinante observar a plasticidade do cérebro e perceber que, através da meditação, podemos ter um papel ativo na mudança cerebral, podendo aumentar nosso bem-estar e qualidade de vida”, disse Britta Holzel, principal autora do estudo e pesquisadora do Massachusetts General Hospital e da Giessen University, da Alemanha.

“Outros estudos, conduzidos com diferentes grupos de pacientes, já mostraram que a meditação pode trazer melhorias significantes de diversos sintomas. Agora estamos investigando os mecanismos cerebrais ocultos que facilitam a ocorrência desta mudança”, disse a pesquisadora.

Dra. Britta Hölzel foi a principal autora do estudo, publicado na revista Psychiatry Research: Neuroimagem, em 30 de janeiro de 2012.

Leia com atenção o texto abaixo e dê início a uma nova etapa na vida, mais saudável e feliz!

meditação-como-fazer

COMO MEDITAR:

  • 1) SENTAR-SE CORRETAMENTE

Sente-se numa cadeira de espaldar reto ou, se preferir, numa superfície firme, com as pernas cruzadas. Em qualquer dos casos, ponha por cima uma manta ou tecido de seda (o objetivo é isolar o corpo da atração magnética produzida pelas correntes sutis da terra). Manter a coluna vertebral reta, o abdome para dentro, o peito para fora, os ombros para trás e o queixo paralelo ao chão. As mãos ficam com as palmas viradas para cima e devem estar apoiadas nas pernas, onde a coxa se une à região abdominal, para evitar que o corpo se incline para frente. A cadeira de meditação deve ter uma altura cômoda; do contrário há a tendência de inclinar o torso para a frente ou para trás.

Na postura correta, o corpo está ao mesmo tempo firme e relaxado e é fácil permanecer completamente tranquilo e imóvel.

Depois, fechar os olhos e elevar suavemente o olhar sem forçar, dirigindo-o para o ponto entre as sobrancelhas, que é a sede do olho espiritual, o centro da percepção divina.

  • 2) ORAÇÃO INICIAL

Depois de ficar na postura de meditação, ofereça a Deus uma prece do coração, expressando sua devoção por Ele e pedindo que abençoe sua meditação.

concentração-meditação

  • 3) TENSIONAR E RELAXAR PARA ELIMINAR O ESTRESSE

Inspire, tensionando o corpo completamente e fechando os punhos.

Expulse fortemente o ar pela boca com uma expiração dupla, fazendo o som “ha haaa”, e ao mesmo tempo relaxe todo o corpo.

Repita este exercício de 3 a 6 vezes.

Depois, esqueça a respiração, deixando-a fluir para dentro ou para fora de modo natural e espontâneo, como na respiração normal.

  • 4) CONCENTRAR A ATENÇÃO NO OLHO ESPIRITUAL

Com as pálpebras meio fechadas (ou completamente fechadas, se for mais cômodo), dirija o olhar para cima, focalizando-o, junto com a atenção, no ponto entre as sobrancelhas, como se olhasse para fora através desse ponto. (A pessoa que se concentra profundamente costuma franzir as sobrancelhas.) Não é para cruzar nem forçar os olhos; ao relaxar e se concentrar com serenidade, o olhar se volta naturalmente para cima.

Apenas ver o olho espiritual não é suficiente; o mais difícil para o devoto é penetrar essa luz. Mas, pela prática de métodos superiores, como a Kriya Yoga, a consciência é conduzida ao interior do olho espiritual, entrando em um outro mundo de dimensões mais vastas”. Paramahansa Yogananda, A Yoga de Jesus.

  • 5) ORAR PROFUNDAMENTE A DEUS NA LINGUAGEM DE SEU CORAÇÃO

Continue com a atenção no centro da Consciência Crística, isto é, no ponto entre as sobrancelhas, orando profundamente a Deus e aos Seus grandes santos. Invoque na linguagem do coração a presença Deles e as Suas bênçãos.

Pai Celestial, Tu és Amor e eu sou feito à Tua imagem. Eu sou a esfera cósmica de Amor, na qual contemplo todos os planetas, todas as estrelas, todos os seres, a criação inteira, como luzes cintilantes. Sou o Amor que ilumina o universo inteiro. Paramahansa Yogananda, “Meditações Metafísicas

 

6) A IMPORTÂNCIA DA PRÁTICA DIÁRIA

todos-podem-meditar-universo-empatico

 

Cada período de meditação deve durar pelo menos 30 minutos, de manhã e à noite. Quanto mais tempo você permanecer sentado, desfrutando do estado de calma meditativa, mais progredirá espiritualmente. Durante as atividades diárias mantenha a calma sentida na meditação; a serenidade o ajudará a manifestar felicidade e harmonia em todos os aspectos de sua vida.

Este passo a passo foi extraído do site oficial da Self-Realization Fellowship, instituição criada por Paramahansa Yogananda para disseminar os seus ensinamentos pelo mundo.

 

3 Livros essenciais para todos que querem aprender mais sobre meditação e yoga:

AUTOBIOGRAFIA DE UM IOGUE

Em “Autobiografia de um Iogue”, Paramahansa Yogananda oferece um verdadeiro portal para a compreensão da filosofia indiana narrando sua infância, a peregrinação em busca de seu mestre espiritual, a vida de cada um dos mestres de sua linhagem (Mahavatar Babaji, Lahiri Mahasaya, Sri Yukteswar), a fundação de uma escola baseada nos princípios da ciência da Yoga, sua vinda para a América e uma peregrinação pela Europa e Oriente, onde teve contato com grandes santos e mestres espirituais da época. É também um passo inicial seguro para quem deseja conhecer a ciência da Kriya-Yoga, técnicas científicas avançadas de meditação iogue. Edição completa, editada pela Self-Realization Fellowship, organização espiritual sem fins lucrativos fundada por Paramahansa Yogananda em 1920, com sede internacional nos EUA.

Considerado um best-seller, integrante da lista dos cem maiores livros espirituais já publicados em todo o mundo, é editado há mais de 60 anos, atualmente em quase 30 línguas, e é uma das maiores revelações já publicadas no Ocidente sobre as profundezas da mente e do coração hindus e a riqueza espiritual da Ciência da Yoga. Livro de cabeceira de famosos como George Harrison, Steve Jobs, Gilberto Gil, entre outros.

MEDITAÇÕES METAFÍSICAS

 

Em seu livro “Meditações Metafísicas”, Paramahansa Yogananda, um dos grandes mestres espirituais do século XX, apresenta um manancial de sabedoria com mais de 300 orações, meditações e afirmações que tanto iniciantes quanto experientes em meditação poderão usar para despertar a alegria, a paz e a liberdade interior da alma. A espiritualidade lúcida e prática do autor guiará você para superar todo sentido de limitação e viver plenamente na luz confortadora do Espírito.

A YOGA DE JESUS

yoga-de-jesus-paramahansa-yogananda

 

A Yoga de Jesus é uma compilação da famosa obra do autor intitulada “A Segunda Vinda de Cristo: a Ressurreição do Cristo Interior”, fundamental para todos os que querem compreender em profundidade os ensinamentos de Jesus e sua aplicação prática para os dias de hoje na construção de uma Cultura de Paz.
Alguns dos temas apresentados: Os “anos desconhecidos” que Jesus passou na Índia •A antiga ciência da meditação: como tornar-se um Cristo • O verdadeiro significado do batismo • De que modo os princípios e métodos da yoga são equivalentes aos ensinamentos dos maiores santos e místicos cristãos.

Sobre Jesus, disse Paramahansa Yogananda: “Ele ensinou a ciência completa da yoga, o caminho transcendente da união divina por meio da meditação.”

Para conhecer a obra completa dos livros da Coleção Paramahansa Yogananda em português acesse o site www.omnisciencia.com.br

LIÇÕES DA SELF-REALIZATION FELLOWSHIP – PARA APROFUNDAR A MEDITAÇÃO

As instruções para praticar a meditação segundo a ciência da Kriya Yoga eram transmitidas pessoalmente por Paramahansa Yogananda nas aulas que ele ministrou ao longo de mais de 30 anos e são descritas em detalhes nas Lições da Self-Realization Fellowship.
Além disso, ali também há conselhos práticos e várias técnicas que o próprio Yogananda ensinava para uma vida saudável e bem-sucedida, isto é, para o bem-estar físico, mental e espiritual perfeitamente equilibrado: em uma palavra, para obter a harmonia que a yoga traz a todos os aspectos da vida. Esses princípios – que constituem “a arte de viver” – são a consequência e o principal resultado da verdadeira meditação.

Para mais informações clique aqui.

A Meditação Vipassana em Um Presídio no Brasil

O primeiro curso de meditação realizado em um presídio brasileiro. O documentário registra este fato incrível e inédito de uma experiência realizada anteriormente em países como Índia e Estados Unidos.  A técnica Vipassana foi ministrada durante 10 dias em um presídio em Ribeirão das Neves, MG.

Vipassana  significa “insight”, ver as coisas como elas realmente são. Tendo sido ensinada na Índia há 2500 anos por Gautama, o Buda, a Meditação Vipassana está ligada ao Budismo, sendo porém praticada por todos independentemente de crenças religiosas. Enquanto as práticas da Meditação variam de tradição em tradição, o princípio subjacente é a investigação e o entendimento dos fenômenos manifestados nos 5 agregados (skandhas), nomeados como apego à forma física (rūpa), sensações ou sentimentos (vedanā), percepção (saṃjñā, Pāli saññā), formações mentais (saṃskāra, Pāli saṅkhāra) e consciência (vijñāna, Pāli viññāṇa). Este processo é um caminho para a experiência da percepção direta; vipassanā.

Assista o documentário completo no vídeo abaixo:

5 formas simples de Ensinar Mindfulness para Crianças e jovens

Quer ensinar ao seu filho a arte da atenção plena? Até um minuto de mindfulness pode criar uma mudança incrível  durante o dia. Não é necessária uma postura ou treinamento formal específico para envolver sua mente e corpo no momento presente. Na verdade, você pode ensinar as crianças a serem conscientes durante as atividades diárias normais. Sinta-se à vontade para experimentar uma dessas atividades lado a lado com seu filho.

1. consciente acordar

Lentamente pisque seus olhos abertos. Comece a acordar seu corpo; Mexa os dedos e os dedos dos pés. Quando se sentir pronto, respire fundo e estique as mãos sobre a cabeça. Estique todo o caminho de suas mãos para os dedos dos pés. Suspire e relaxe. Gentilmente sente-se e estique as mãos sobre a cabeça novamente. Como você se sente em seu corpo hoje?


Acordando conscientes

2. Comer consciente 

Levante uma pequena garfada de comida até o nariz e cheire sua comida. Você pode dizer o que vai gosto? Coloque a comida na sua língua. Observe os gostos; é salgado, amargo, doce ou azedo? Lentamente, comece a mastigar sua comida. Observe a textura à medida que você começa a dividi-la em pedaços menores. Quando estiver pronto, engula sua comida. Sinta a comida ao longo de toda a sua garganta. Dê outra mordida enquanto você lentamente explora os sabores da sua língua. Yum!

Comer consciente para as crianças

3. Limpeza consciente

Observe a pressão de seus pés no chão. Traga sua atenção para a temperatura de suas mãos e pés, eles se sentem quentes ou frios? Gire suavemente a água da torneira. Coloque as mãos sob a água e sinta a temperatura. Observe a diferença entre a temperatura do seu corpo e a água da torneira. Gire suavemente a torneira para que a água esteja quente, mas não muito quente. Observe a água morna nas suas mãos e sinta-a lentamente começando a aquecer o resto do seu corpo. Pegue sua esponja e passe a água sobre ela. Sinta a esponja macia e mole nas suas mãos. Esprema um pouco de sabão na esponja e pegue um prato. Esprema a água e sabão sobre o prato. Sinta a esponja lentamente começar a se expandir novamente para a sua mão. Sinta a água morna em suas mãos e a esponja mole enquanto a move para frente e para trás no prato.

Atividades conscientes para as crianças

4. Espera consciente

Respire fundo e encha os pulmões de ar. Feche seus olhos. Delicadamente traga sua atenção para os cheiros ao seu redor. Tente não procurar por eles, apenas veja o que você percebe. Observe como cheiros diferentes vêm e vão, como nuvens passando no céu. Você está ciente de mais cheiros do que antes? Observe se esses cheiros trazem algum pensamento em sua mente. Os cheiros lembram uma lembrança ou um sentimento? Tente não julgar seus pensamentos, apenas observe-os enquanto eles vêm e vão com os cheiros ao seu redor.

Espera consciente

5. Tomar banho consciente 

Ouça os barulhos próximos a você, ouça o som da água batendo no chão e nas suas costas. Ao perceber cada um desses sons, tente não alcançá-los; deixe que eles venham até você, da mesma forma que você ouviria os sons de uma orquestra. Você ouve alguma coisa que você não percebeu antes? Agora, tente e veja se você consegue ouvir sons distantes. Apenas observe-os e, lentamente, comece a criar uma imagem em sua mente desses sons. Ouça-os enquanto eles vêm e vão ao seu redor. Tente não julgar os sons, eles não são bons ou ruins. Há sons naturais acontecendo ao seu redor, se você precisar de um momento para si mesmo, você pode sempre fechar os olhos e ouvir🙂

Tomar banho-e1476105819669-941x1024